Colóquio Mulher e Sociedade reúne pesquisadores de diversas regiões

Primeiro dia de evento foi marcado por grande número de participações
29 de junho de 2021 às 20:39

COM ASSESSORIAS – O 7º Colóquio Mulher e Sociedade reuniu pesquisadoras e pesquisadores de diversas instituições de ensino brasileiras em seu primeiro dia de atividades, nesta segunda-feira (28). Ao todo, serão 30 artigos científicos apresentados entre os dias 28 e 30 de junho. Com as restrições impostas a fim de diminuir a circulação da Covid-19, o evento ocorre de forma remota pela primeira vez.

Este ano, com o tema “Desigualdades de gênero e interseccionalidade: os direitos humanos em tempos de crise”, o Colóquio possibilitou o debate transdisciplinar sobre os impactos da pandemia para diversos grupos sociais, bem como, o compartilhamento de reflexões e experiências de pesquisas em diferentes localidades. Graduandos (as), pós-graduandos (as) e professores (as) da UEPG, Unisecal, UnB, UFPR, Unisinos, UFSC, UFMA, UFMG e UFSM, entre outras universidades, participaram das apresentações do evento científico e das mesas de debates. Com isso, o evento local ganha amplitude nacional nesta edição. “A participação de pesquisadoras e pesquisadores de outras regiões do país vem ampliando a cada evento e nesta edição registramos um volume maior de trabalhos de outras regiões e de áreas diferentes. A discussão interdisciplinar é muito rica, essa diversidade permite a troca de conhecimento, dados, referências bibliográficas e isso agrega aos estudos, pesquisas em desenvolvimento e estreita as relações entre as e os participantes. Acredito também que o Colóquio, pela sua longevidade vem se consolidando e ocupando um espaço em abrigar discussões que perpassam por estudos de gênero, etnia, raça, classe, geração e direitos humanos. A parceria com a UNB, este ano, representada pela professora Dione Oliveira agregou a esse movimento de amplificação dos debates”, destaca a professora Paula Melani Rocha, uma das coordenadoras do evento.

O encerramento do Colóquio, nesta quarta-feira (30), inicia com a Parada LGBTQIA+ dos Campos Gerais, às 9 horas. Em seguida, ocorre o painel “Vivências travestis” e o lançamento do documentário inédito com a história das primeiras travestis de Ponta Grossa e retratam as violências que sofreram. O documentário é uma parceria do departamento de Jornalismo da UEPG e do Renascer.

As atividades são gratuitas e o público pode acompanhar na página do Facebook <https://www.facebook.com/uepgELOS> ou no YouTube <https://www.youtube.com/channel/UC34v_NUIlngy1KI2A7vr-CA> . Já as apresentações de trabalhos científicos acontecem durante a tarde, a partir das 14 horas. Interessados em assistir podem solicitar o link do Google Meet pelo e-mail: [email protected].

O 7º Colóquio Mulher e Sociedade é um evento promovido pelo Grupo de Pesquisa Jornalismo e Gênero do Mestrado em Jornalismo e pelo projeto de extensão Elos – Jornalismo, Direitos Humanos e Formação Cidadã da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília (UnB) e com o apoio da Parada LGBTQIA+ dos Campos Gerais.