Agência do Trabalhador registra semana com aumento de 25% na oferta de emprego em PG

Prefeitura amplia contato com empresas para busca de vagas de trabalho
7 de janeiro de 2022 às 12:27

COM ASSESSORIAS – Nesta semana, a Agência do Trabalhador de Ponta Grossa registrou uma quantidade expressiva de atendimentos, bem como, a disponibilização de oportunidades de trabalho acima da média, superando as 400 vagas ofertadas por dia.

Segundo o diretor da Agência do Trabalhador, Nilton Gomes, o fluxo de trabalhadores na Agência foi intenso chegando a registrar mais de 600 pessoas atendidas na primeira segunda-feira (3) do ano. “Vemos que o munícipe está decidido a começar o ano inserido no mercado de trabalho e isso é excelente para darmos conta de preencher as vagas ofertadas pelas empresas”, disse Gomes.

Passaram pela Agência do Trabalhador de Ponta Grossa, na primeira semana do ano de 2022 mais de 1.500 pessoas para buscarem nossos serviços como empregos, estágios, seguro desemprego, carteira de trabalho digital e cursos variados de qualificação profissional.

Gomes relata que outro dado importante está relacionado às cartas de encaminhamento. De acordo com ele, em toda a semana foi mantida a média em que a cada 10 dez pessoas atendidas sete foram direcionados para entrevistas de emprego. “Podemos dizer que tivemos cerca de 70% de aproveitamento no encaminhamento de trabalhadores para as empresas, o que possibilita a esperança para muitos desempregados”, ressalta Gomes.

O secretário José Loureiro Neto explica que este incremento de 25% na oferta de vagas, já na primeira semana do ano, se dá por alguns fatores, sendo um deles a retomada da economia e as empresas voltando a aquecer seus negócios. “Porém, outro fator a ser destacado é que a Agência do Trabalhador de Ponta Grossa está com uma nova sistemática de trabalho, entrando em contato com mais empresas para a oferta de nossos serviços. Desta forma, conseguiremos ser a ponte entre o empregador e o empregado, de maneira gratuita, gerando mais oportunidades e combatendo os impactos negativos da pandemia da covid-19”, finaliza Loureiro.